Doença de Chagas

A Doença de Chagas é um problema crônico de saúde no Brasil, na América Latina e, mais recentemente, por causa do aumento da migração, no Mundo. Causada pelo protozoário flagelado Trypanosoma cruzi, calcula-se que 200 mil pessoas irão morrer desta Doença nos próximos cinco anos. No Brasil,  estima-se entre 2 e 3 milhões de pessoas estão infectadas com o parasita. Como não há vacinas e os medicamentos existentes são pouco eficazes e muito tóxicos, é essencial que novas alternativas terapêuticas e diagnósticas seja desenvolvidas.

A principal causa de morte é a cardiopatia Chagásica, que se desenvolve em aproximadamente um terços dos indivíduos infectados. Porque o restante permanecem na chamada fase indeterminado, enquanto outros evoluem para as manifestações clínicas da Doença, ainda não é bem compreendido. Devida a aparente ausência de parasitas no tecido cardíaco e a presença de auto anticorpos, acreditava-se que a Doença de Chagas fosse autoimune. Porém, técnica mais sensíveis tem demonstrado que, mesmo em baixíssimo número, os parasitas ainda estão presentes nas lesões, o que dispara reações autoimunes e inflamatórias, levando à gradual destruição do tecido cardíaco. Porém, os mecanismos deste processo ainda não estão esclarecidos.

Para ajudar a entender os processo moleculares importantes para a biologia deste parasita, nosso grupo tem estudo a participação de uma família de proteínas de superfície (as Tc-85) no processo de infecção. Estamos também explorando o repertório imunogênico do T. cruzi com metodologias combinatórias (phage display) para mapear epitopos antigênicos do parasita importante nos diferentes estágios da Doença.

Nossa expectativa é que, ao longo de nossos estudos, estes conhecimentos nos auxiliem a identificar e validar alvos moleculares do T.cruzi, auxiliando no desenvolvimento de novas metodologias diagnósticas e terapêuticas para a Doença de Chagas.